10 fatos sobre a vida de veterinário

Certamente você leva seu gatinho, cãozinho ou outro animal de estimação ao veterinário, né? Seu pet é examinado, bem tratado, medicado e até passa por procedimentos mais delicados, mas talvez não saiba algumas curiosidades sobre essa profissão tão importante para os nossos mascotes.

Conheça 10 fatos sobre a vida de veterinário:

1) O trabalho é muito mais perigoso do que algumas pessoas imaginam

Muita gente pensa que ser veterinário é lidar com muita fofura o dia todo, mas a profissão está longe de ser só isso. “Qualquer cachorro vai te morder se você colocá-lo em uma posição o assuste”, diz Sue, veterinária em New Orleans.

E não são só os cães: mordidas de gatos podem até encerrar carreiras de cirurgiões, assim como lidar com animais de grande porte, como cavalos, ou exóticos, como macacos, também pode colocar a vida dos médicos em risco. “Se um macaco cospe no seu olho, por exemplo, pode ser uma péssima notícia. Alguns carregam um resquício de herpes primata que é letal para os humanos”, falou.

2) A rotina é completamente imprevisível

Os veterinários, em sua maioria, lidam diariamente com cães e gatos. Mas, às vezes, aparecem pets inusitados nas clínicas e eles precisam ter muita criatividade para resolver os problemas. “Uma vez atendi um hamster com uma pata quebrada e que precisava de uma tala. Acabamos fazendo uma com uma seringa”, conta Sue.

3) Eles precisam lidar muito bem com pessoas

Os pacientes não podem falar, então os médicos passam boa parte do tempo se comunicando com os seus donos. Para falar com os tutores sobre os seus pets, é necessário muito tato. “Quando os donos têm pouco dinheiro, é difícil”, conta Sue. Já a Dra. Eleanor Acworth, uma veterinária de Nova Iorque, conta que às vezes é muito difícil convencer os donos a fazer o que é certo para os animais. “Algumas pessoas simplesmente não escutam”, desabafa.

4) Veterinários sabem quando você está mentindo

Sim, eles sabem que você está mentindo quando diz que o seu cachorro obeso come apenas dois potes de comida por dia. “Não, ele não tem ossos grandes”, fala Sue.

5) Eles não são donos perfeitos de pets

Sue admite que está longe de ser a dona perfeita. “Eu sou uma tutora muito pior desde que me tornei veterinária”, fala. Antes da profissão, ela conta que era superprotetora, mas diz que perdeu essa característica. “Eu penso que posso consertá-lo, caso o pet tenha alguma coisa”, diz. “Sou uma profissional com experiência para reconhecer quando as coisas estão piorando e tenho habilidade para intervir — mas não é isso que recomendo para meus clientes”.

6) Eles lidam com a morte frequentemente

Uma parte muito triste da profissão é lidar com a morte. Eles precisam sacrificar pets que estão velhos, doentes ou, em casos extremos, em que os donos simplesmente não podem pagar por tratamentos. “Trabalhei em turnos em que nenhum paciente saiu vivo”, conta Sue.

7) Veterinários também têm animais favoritos

Eles precisam cuidar de todos os pets, mas têm suas preferências. Eleanor Acworth, por exemplo, ama cuidar de vacas, mas não é fã de lhamas. “Elas têm a tendência de cuspir, às vezes até no veterinário que está cuidando delas”, afirma.

8) Exótico é relativo

Enquanto para um veterinário comum qualquer animal que não seja um cão ou gato pode ser considerado exótico, o mesmo não pode se dizer de quem lida com animais de fazenda. Uma lhama, por exemplo, é um animal de fazenda, não exótico. Agora, um canguru, animal que Eleanor Acworth chegou a lidar uma vez, já é considerado exótico. “Eles são animais tão legais”, falou.

9) Eles dependem de uma equipe

É impossível para um veterinário conseguir lidar com todos os problemas sem a ajuda de outros funcionários. “É um trabalho de equipe. As recepcionistas têm um dos trabalhos mais difíceis em uma clínica, já que elas são as primeiras a lidar com pessoas que podem estar muito emotivas. Atrás de todo bom veterinário está um time de indivíduos talentosos e prontos para ajudar pessoas e seus pets”, conta.

10) Cachorros são capazes de comer tudo

“Cachorros amam comer calcinhas ou absorventes”, conta Sue. Outro item que os cães amam abocanhar é maconha. Isso mesmo. “Já vi donos trazerem animais que estão agindo de uma maneira bizarra. Mas quando eu sugeri que o animal poderia ter encontrado a maconha de alguém, o dono negou que tivesse a droga em casa”. Mais uma vez: os médicos sabem quando você está mentindo!

Fonte: Pet Cidade

One thought on “10 fatos sobre a vida de veterinário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *